sexta-feira, 13 de julho de 2018

EX-ATEU CONTA COMO SUA VIDA FOI TRANSFORMADA

segunda-feira, 4 de junho de 2018

MAIS UMA SEMANA DE BÊNÇÃOS COM AS FAMÍLIAS!











segunda-feira, 2 de abril de 2018

QUE DAREI AO SENHOR POR TODOS OS SEUS BENEFÍCIOS?
Celebração dos 60 anos de vida e do fato mais importante da história da humanidade: a ressurreição de Jesus Cristo!



























segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

A "Cidade de Deus" é um inferno!


Pr. Raul Marques


Como é possível uma nação conviver permanentemente com a dicotomia do paraíso e do inferno? Como é possível que este mesmo país se mantenha travestido de religiosidade e hipocrisia entre o Estado do Espírito Santo e o estado de imoralidade e corrupção? Entre as polis de Salvador e Belém, ao mesmo tempo em que o Cristo clama por paz envergonhado e de braços abertos sobre a Guanabara ensanguentada? Como é possível o crime acuar o Estado e a sociedade se manter enclausurada contentando-se a enterrar e chorar os seus mortos? Como foi possível permitir que a Cidade Maravilhosa seja transformada num caos e num inferno?
A Bíblia nos ensina que “Quando o governo é honesto, o país tem segurança; mas, quando o governo cobra impostos demais, a nação acaba em desgraça” (Provérbios 29.4). Afirma também: “Ai daquele que constrói o seu palácio usando de corrupção e meios ilícitos; que força seu próximo a trabalhar sem qualquer retribuição, tampouco lhe paga o salário” (Jeremias 22.13-17). Porventura não são estes motivos que têm provocado todo este caos? Não vive o país e seu povo atolados em dívidas enquanto os governantes se banqueteiam, se compram e se vendem despudoradamente? Não são porventura abutres famintos que se fartam sobre a carniça nacional?
Transformaram a Cidade de Deus num inferno! Transformaram o Rio de Janeiro num de rio de lama e de sangue... Quem vive em maioria na Cidade de Deus? Diria Vinícius de Morais: “É gente humilde, que vontade de chorar!”.
A dicotomia dá lugar aos contrastes: como é possível uma nação inteira mergulhar no caos social, no desemprego, no adoecimento, na violência e na demência, ao mesmo tempo em que assiste, anestesiada e sem forças, ser vendida no planeta como “o país do carnaval e do futebol” num ano de calendário político, quando ocorrerão gastos excessivos, abusivos e desnecessários diante de uma gente humilhada, infantilizada e dividida propositadamente pela mídia da hipocrisia, para iludir uma gente que trabalha incessantemente sem desfrutar da riqueza que produz? Não há hoje no país uma cidade sequer em que a violência moral, ética, política e física já não tenha invadido!

A Pátria-mãe-gentil não passa de uma pobre viúva desprotegida e abandonada à sorte com os seus mais de 200 milhões de filhos para criar... A Cidade de Deus é a grande parábola nacional! É uma pena que, embora digamos a plenos pulmões que somos uma nação cristã, vivamos paradoxalmente tão distantes do Cristo! O Salmo 33.12, afirma: “Feliz a nação cujo Deus é o SENHOR, o povo que Ele escolheu para lhe pertencer”. Infelizmente, estamos vivenciando um ensaio geral do fim e, impassivelmente, assistindo o circo pegar fogo até transformar-se no mais torturante inferno! Este sim, é mais provável que venha a ser “O outro lado do paraíso”. Deus tenha misericórdia de todos nós!

sábado, 6 de janeiro de 2018

GERAÇÃO PINTAINHOS...

Pr. Raul Marques®




Tenho andado estupefato com as tendências e com as efetivas práticas realizadas nas igrejas contemporâneas! Os conceitos de crescimento são os mais variados possíveis e, diga-se de passagem, os mais técnicos e científicos que se possam imaginar! Fiquei a pensar com os meus botões... Será que não estão reproduzindo na igreja o comportamento dos criadouros/abatedouros de frangos? Pode parecer esdrúxulo num primeiro momento, mas, de qualquer modo, consideremos isto...
Encontrei, numa pesquisa sobre aviários, o seguinte texto: “As lâmpadas se acendem e despertam os pintainhos para o consumo de ração e água. Duas ou três horas depois, um sistema automático desliga as luzes elétricas e as aves se acalmam e dormem, como ao cair da noite. Cortinas de lona impedem a entrada de sol no aviário, permitindo a repetição do come-dorme 24 horas por dia”. Fiquei absurdamente intrigado com a relação entre esta realidade e a experiência da igreja atualmente!
Para manter grandes plateias ativas ou “acordadas” é necessário um planejamento estratégico com programas recheados de atividades específicas que sejam capazes de garantir o “consumo” religioso constante, sem dar chances para que o SOL (da justiça) seja, enfim, percebido, de maneira que se perpetue o mesmo “come-dorme” em todo o tempo. Os tipos de ração são de somenos importância; o que predomina mesmo é a obscura fidelização através do chamariz de atrativos pregadores/cantores/atores que envolvam as aves-pessoas e vivam (ou sobrevivam) como na Caverna de Platão, sobre o quê também vaticinou o apóstolo Paulo em 2 Timóteo 4.1-5.
Acredito que Jesus Cristo é o libertador no sentido mais lato da palavra! Ele mesmo afirmou este fato ao dizer: “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres(João 8.36).
Nos criadouros os pintainhos são mantidos sob luzes para que não durmam e comendo todo o tempo para que engordem e, por fim, sejam abatidos... Nas “igrejas que crescem” a política se assemelha: engordam as multidões para vê-las, em seguida, abatidas nas estatísticas: frustradas, desiludidas, machucadas e cheias de medo do dia seguinte...
Há séculos não víamos uma geração tão nanica de formação bíblica! Há tempos não víamos uma geração com tantos líderes com caráteres sabidamente deformados! Todavia, embora absortos e perplexos, não podemos dizer que jamais suporíamos que tal coisa pudesse ocorrer... É bastante lembrarmos da alarmante previsão de Jesus: “Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo. E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim Mateus 24.10-14.
Jesus confrontou líderes de igrejas hipócritas, dizendo: “Porque viajais por mares e terras para fazer de alguém um prosélito. No entanto, uma vez convertido, o tornais duas vezes mais filho do inferno do que vós Mateus 23.15. Quiçá esteja na hora em que Deus apagará as luzes deste enorme criatório de pintainhos religiosos, transformando tudo num gigantesco aviário de águias que, enfim, alçarão voos para os quais foram projetadas desde sempre!